FAQ

Para estudantes da Poli

Dúvidas sobre a iPoli

Os eventos são abertos ao público?


Sim! Nossos eventos são abertos para todos (brasileiros ou intercambistas de outros institutos) que tiverem interesse de conhecer melhor o grupo ou outras culturas. Fique de olho nas nossas redes socias, pois postamos os eventos lá. Em alguns, é necessário realizar inscrição, então entre em contato conosco caso queira participar.
Saiba mais sobre os eventos na página de Projetos.




O que é e quando ocorre a SiPoli - Semana Internacional da Poli?


A Semana Internacional da Poli costuma ocorrer entre os meses de maio e junho. Nela, são organizadas várias palestras e eventos para os alunos da Poli se familiarizarem com programas de intercâmbio. É o momento ideal para tirar suas dúvidas e conhecer todas as oportunidades que a Poli e a USP oferecem.




O que o grupo faz?


A iPoli presta suporte tanto aos estrangeiros em regime de intercâmbio na Poli, quanto aos politécnicos que estudam, ou almejam estudar, no exterior. Aos brasileiros destacam-se a organização de palestras com diretores, professores e alunos das instituições estrangeiras que possuem acordos com a Escola Politécnica, o acompanhamento e a divulgação dos processos seletivos dessas instituições para a comunidade. Já em relação aos intercambistas estrangeiros, a iPoli os acompanha antes mesmo de chegarem ao Brasil, fornecendo informações e esclarecendo as dúvidas e preparativos. E aqui, recepcionando-os, indicando locais para se instalarem, ajudando com a língua portuguesa, além de realizar diversos eventos culturais, facilitando ao máximo a adaptação ao novo país.
Saiba mais nas páginas Quem Somos e Projetos.




O que é a iPoli?


O Escritório Politécnico Internacional (iPoli) é uma instituição sem fins lucrativos que se propõe a representar todos os interessados da comunidade politécnica em criar uma rede de relacionamento internacional, cultural e profissional, que contribua com o sucesso das atividades internacionais da Escola Politécninca da USP (Poli) e de seus engenheiros. Saiba mais na página Quem Somos.




A iPoli interfere nos processos seletivos de intercâmbio?


Não! A iPoli, assim como qualquer outro grupo de extensão, não tem qualquer influência sobre os processos seletivos de intercâmbio. Não ajudamos a selecionar os candidatos e nossos membros não recebem vantagem ou informações privilegiadas.





Dúvidas sobre Intercâmbio

Dúvidas Gerais

O intercâmbio precisa ser na mesma engenharia que faço na Poli, ou posso fazer em outra engenharia?


Isso depende do seu departamento.
Como o DD entra no lugar do módulo vermelho, alguns departamentos não aceitam que o aluno faça o DD em outra engenharia. Isso deve ser conversado com a CRInt e com o coordenador do seu curso.

No caso do AE, há uma liberdade maior, mas nem sempre é possível obter equivalência com matérias da Poli, por isso recomendados que você converse com seu departamento antes.




Existem algumas dicas ou informações gerais que vocês acham importante saber?


Estude as possibilidades e planeje seu intercâmbio com antecedência. A Poli oferece várias modalidades de intercâmbio e destinos, veja qual é a melhor para você. A iPoli organiza no 1º semestre do ano a SiPoli - Semana Internacional da Poli, na qual os professores responsáveis pelos acordos internacionais dão palestras e tiram dúvidas dos alunos. Ainda na SiPoli, são realizadas rodas de conversas e uma feira de intercâmbio na qual a CRInt (Comissão de Relações Internacionais da Poli) também está presente, então não deixe de participar! Assista as palestras da CRInt, que acontecem antes do fechamento de cada edital e tire todas as suas dúvidas. Durante as palestras, os professores dão diversas dicas. Entre nos sites das instituições estrangeiras e encontre os e-mails dos departamentos de recepção de intercambistas: eles podem tirar todas as dúvidas específicas da instituição. Após ter ideia de para onde você quer ir, converse com alunos que estudam/estudaram lá! Caso não conheça ninguém, entre em contato conosco pelo Facebook que tentaremos encontrar alguém. Você é muito mais que a sua média e a CRInt sabe disso. Além de se preocupar com suas notas, tente vivenciar a Poli, tenha um bom currículo e mostre para os professores que você se planejou e sabe por que quer ir para a universidade escolhida.




Em AE ou DD, pagamos para estudar na instituição que ingressamos?


Os intercâmbios realizados através da Poli não são pagos pelo aluno, pois os acordos são sempre bilaterais, ou seja, o aluno não paga a mensalidade/tuition. Contudo, podem haver alguns tipos de taxas, como emissão de documentos e carteirinhas, que ficam por conta do aluno. Além disso, o aluno deve arcar com as despesas de viagem e de custo de vida no país.




Onde posso acessar as matérias da minha faculdade de interesse?


Para verificar as matérias que cada faculdade oferece, deve-se entrar e pesquisar nos sites delas. Esses sites costumam conter páginas com informações mais aprofundadas sobre seus cursos e as disciplinas que oferecem. Assim como o sistema Júpiter da USP tem as grades curriculares disponíveis para o público, os sites das universidades estrangeiras também têm as mesmas informações.




Para realizar o DD ou AE, eu necessariamente vou me formar em 6 anos?


O tempo mínimo para você se formar, no caso do DD, será de 6 anos. No caso do AE, o tempo de formação na Poli costuma ser 6 anos também. Dependendo das matérias que você cursar no exterior e de quantas equivalências você conseguir pegar, é possível reduzir esse tempo.




O que é o índice CRInt: média utilizada para o Processo Seletivo?


A média utilizada para selecionar os alunos é calculada pela CRInt e o método usado em seu cálculo não é divulgado. Claro que quanto maior a média, melhor. Contudo, também são levados em consideração outros fatores, como currículo, plano profissional e entrevista. Em palestras passadas, os professores dão preferência para os melhores da turma, mas não pense que apenas o 1º colocado da turma, com média quase 9, consegue passar. São muitas vagas e, em opções menos concorridas, estudantes com médias perto de 6 também conseguem, como pode ser visto aqui.




Quando abrem inscrições para os Processos Seletivos de Intercâmbio?


As inscrições para o Duplo Diploma (DD) geralmente abrem perto do início do 2º semestre (julho/agosto) e podem participar alunos do 2º ou 3º ano de Poli (depende do país). As inscrições para o Aproveitamento de Estudos (AE) geralmente abrem em fevereiro de cada ano. Os alunos que podem participar são os que estão no 4º ou 5º ano da Poli. Você pode ver mais informações sobre os processos na nossa página de Intercâmbio.




Há depoimentos de alunos que já fizeram intercâmbio?


Sim! Nós temos uma playlist de entrevistas com alunos que fizeram intercâmbio no nosso canal do YouTube. Nessas entrevistas, os politécnicos falam tanto do processo seletivo quanto da vida na universidade estrangeira, dando dicas exclusivas e informações inéditas sobre intercâmbio.




Preciso dominar o idioma antes do processo seletivo, ou terei tempo depois de me candidatar?


Não é necessário ter o certificado da língua no momento da inscrição no processo seletivo da CRInt, mas recomendamos que comece a se preparar o mais cedo possível. Não saber a língua local não irá te excluir do processo, contudo, os professores levam isso em consideração e um domínio do idioma pode ser um diferencial. Apenas fique atento ao fato que algumas universidades pedem certificado de proficiência no momento da inscrição/matrícula. O período de inscrição e os requisitos linguísticos variam de uma faculdade para outra, por isso recomendamos que você pesquise no site das universidades que te interessam e caso não encontre as informações, recomendamos que entre em contato com elas por e-mail.




O que eu vou cursar no exterior? Ao entrar no site da Instituição estrangeira, eu procuro que tipo de programa?


Os intercâmbios da Poli de DD (que você vai no 4º ano) e de AE são todos de "Master", formação acadêmica que vem depois do "Bachelor" (que na maioria dos paises europeus equivale a um "Ciclo Básico"), portanto você deve verificar na aba de Master.




Quais são as opções de países disponíveis e a concorrência que cada um teve em anos anteriores?


Os países e universidades disponíveis estão no edital de AE/DD de cada ano. Não é possível afirmar que um país estará sempre disponível, pois os acordos expiram e nem sempre a CRInt consegue renová-los. Da mesma forma, a CRInt faz novos acordos constantemente, portanto, novos países sempre aparecem no edital. Com relação à concorrência, é possível saber a relação candidato/vaga nos slides das palestras que estão disponíveis no site da CRInt. Lembre-se que a concorrência muda de ano pra ano, então não leve apenas isso em consideração.




Como funciona a equivalência de matérias no AE, DD e Intercâmbio Livre?


No AE, pelo regimento interno da USP, você deve fazer no mínimo 15 ECTS por semestre, que é o equivalente a 12 créditos USP. Caso deseje, as matérias que você faz no AE podem entrar como optativas, ou você pode pedir equivalência com matérias da Poli, mas não é garantido que você vai conseguir (recomendamos conversar com seu departamento antes). O DD substitui o módulo vermelho, dessa forma, quando você voltar, você irá cursar o 8º semestre da Poli. Fique atento, pois cada departamento lida com esse 8º semestre de uma forma diferente. Novamente, recomendamos que entre em contato com o seu departamento. No Intercâmbio Livre, com o apoio do coordenador de curso, você pode escolher matérias que tenham equivalência com as que você teria que cursar na Poli, assim aproveitando os créditos das disciplinas cursadas no exterior.




É oferecido algum curso nas IES voltado ao idioma antes do início das aulas?


Sim, algumas IES (Instituições de Ensino Superior) oferecem cursos a respeito do idioma durante as aulas ou antes do semestre começar. Isso deve ser pesquisado no site das IES que te interessam. Caso você não encontre essa informação no site, recomendamos que você entre em contato por e-mail com a universidade.




Como funciona a política de estágio no exterior?


Isso depende de cada universidade estrangeira. Recomenda-se que entre em contato com a universidade que deseja realizar o intercâmbio para saber mais informações. Em geral, as universidades permitem que o aluno de intercâmbio faça estágio enquanto estuda lá. A Poli não pode assinar estágio no exterior, e o aluno de intercâmbio deve pedir para que a instituição estrangeira assine. Os termos de estágio e as responsabilidades do aluno e da empresa variam de país para país. Existem instituições que permitem que o aluno substitua parte dos créditos necessários para se formar em DD, relativos ao TCC, por um semestre de estágio sob orientação em uma empresa parceira da faculdade.




Em qual idioma é ministrado o curso no exterior? Há algum em inglês?


Como são muitas faculdades e as informações podem mudar todos os anos, não conseguimos fornecer essas informações para você. Você deve entrar nos sites das faculdades que tem interesse e pesquisar sobre o idioma do curso. Algumas universidades tem seu requisito de idioma listado no próprio edital. Se você não encontrar as informações, recomendamos que mande um email para a universidade para consultar. Sim, há várias instituições que oferecem disciplinas para estudantes internacionais em inglês, ou parcialmente em inglês, por isso é importante pesquisar sobre todas as opções que os editais oferecem.




Qual a diferença entre DD, AE e Intercâmbio Livre?


Os três programas possuem grandes diferenças entre si: os dois primeiros (DD e AE) são programas oferecidos pela Poli e pela USP em convênio com as Instituições de Ensino Superiores (IES) estrangeiras. No Duplo Diploma você vai estudar de 1,5 a 3 anos em uma instituição estrangeira conveniada com a Poli, e, ao final do programa e de seu curso de origem, você receberá dois diplomas, um da universidade estrangeira e outro da Poli. Já no Aproveitamento de Estudos você vai para o exterior cursar disciplinas de seu interesse por 6 meses a um ano em uma instituição estrangeira conveniada. Enquanto os dois primeiros programas estão atrelados a convênios da Poli, no Intercâmbio aberto você vai fazer o contato com a universidade estrangeira por conta própria, como também tem o dever de arcar com as taxas cobradas pela instituição. Nessa modalidade, você vai estudar de 4 meses a um ano no exterior, com a liberdade de cursar as disciplinas de seu interesse (desde que aprovadas pelo coordenador do curso de origem).




Após ter passado pelo processo seletivo, posso pegar DP?


Sim, uma vez aprovado no processo seletivo você pode realizar o intercâmbio independentemente de ter pego DP. Porém, após terminar o intercâmbio e voltar para o Brasil você deve eliminá-la.




Posso fazer intercâmbio para uma área fora de engenharia?


No Duplo Diploma, não é permitido realizar o intercâmbio fora da área da engenharia. Já no Aproveitamento de Estudos, é possível cursar disciplinas de outros ramos. Porém, você pode fazer pelo Intercâmbio Aberto ou pela Aucani (Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional).




Posso mudar a minha modalidade de intercâmbio enquanto estiver no exterior?


Depende do regime de intercâmbio em que você está. Caso esteja na modalidade de Duplo Diploma, você pode “mudar” para o Aproveitamento de Estudos, assim cursando as disciplinas como em um regimento de AE, porém sem a comprovação no currículo de ter feito essa modalidade. Entretanto - diferente do caso anterior - se você estiver no AE, não é permitido que troque desse regime para DD.




Depois que voltei para o Brasil, posso fazer outro intercâmbio pela Poli?


Sim, a CRInt não limitou até o momento as candidaturas de pessoas que já realizaram intercâmbio pela Poli. Porém, você deve ter cuidado para não ultrapassar o período estipulado pela Poli para a conclusão do curso.




Com quem eu posso falar se acontecer algum imprevisto?


Em casos não previstos você pode entrar em contato com a Comissão de Relações Internacionais (CRInt) pelo email crint.poli@usp.br.





Contato com Veteranos

Há algum relato de experiências vividas por quem já fez intercâmbio? Ou alguma forma de entrar em contato com tais pessoas?


Você pode conferir as entrevistas que fizemos com alunos que foram para intercâmbio nas universidades parceiras da Poli no nosso canal do Youtube! Além disso, nós temos acesso às pessoas que foram para intercâmbio. Se você tiver interesse em conversar com alguém, fale conosco para te passarmos o contato.




De acordo com os últimos alunos que foram ou que estão fazendo intercâmbio, quanto eles gastam mensalmente?


Isso é algo que varia bastante de lugar para lugar e de ano para ano. Se você tiver interesse, fale conosco para te passarmos o contato de pessoas que já moraram no exterior e que podem esclarecer melhor essas dúvidas. Você também pode conferir vários relatos de diferentes alunos que fizeram intercâmbio no nosso canal do Youtube! Nas entrevistas que realizamos, falamos um pouco sobre a questão do custo de vida e muito mais!





Bolsas

Existem bolsas específicas para cada país?


Sim, a maioria dos países oferecem bolsas para estudantes estrangeiros, tanto por mérito acadêmico quanto por índices socioeconômicos. No entanto, a oferta de bolsas muda todo ano. A única maneira de ter certeza que o seu país de destino e a sua faculdade possuem bolsas específicas é verificar nos sites da instituição e do governo estrangeiro.




Quais são as possibilidades de bolsas de auxílio de custo? Como conseguir?


As principais bolsas são as da AUCANI e algumas da França, concedidas com base no mérito acadêmico. Existem também as bolsas Santander específicas para as regiões Ibero-americanas. Para saber mais sobre outras possibilidades de bolsa, e como aplicar para cada uma delas, acesse nossa página sobre bolsas.




Existem bolsas de estudos para AE?


Existem bolsas de intercâmbio que também incluem o AE, mas nenhuma exclusiva.




Ao ser aprovado para o intercâmbio, já consigo uma bolsa automaticamente?


Não! Infelizmente, a aprovação do intercâmbio pela Poli não garante bolsa para o aluno. Os processos seletivos para bolsas são separados.




Existem bolsas para alunos em vulnerabilidade socioeconômica?


Atualmente, a Poli não oferece bolsas de intercâmbio exclusivas para alunos em vulnerabilidade socioeconômica. No entanto, a sua instituição de destino ou o respectivo governo do país estrangeiro podem oferecer alguma bolsa com esses critérios.




A maioria dos alunos aprovados para intercâmbio consegue bolsa?


Sempre vale reforçar que a aprovação no intercâmbio não garante a bolsa, então nem todos conseguem. Por isso, é recomendado se planejar financeiramente antes do intercâmbio para não depender exclusivamente do benefício de uma bolsa. Em geral, dos alunos que conhecemos, a maioria realizou intercâmbio sem bolsa. Mas muitos conseguiram, especialmente as bolsas Brafitec (França), Eiffel (França) e Aucani. A oferta de bolsas também depende do país de destino, sendo a França o país com mais oportunidades.




A bolsa é suficiente para cobrir meus gastos no exterior?


Isso depende do estilo de vida da pessoa, da bolsa e do país. Mas de forma geral as bolsas são uma grande ajuda para se manter no exterior. Para entender melhor como é a dinâmica de se viver com o auxílio de uma bolsa, assista à nossa Roda de Conversa no nosso canal do Youtube!





Processo Seletivo

Até quantas universidades posso escolher e como seleciono no edital?


Essa informação sempre está disponível com precisão nos respectivos editais da CRInt, mas geralmente são até 5 para AE ou DD unificado e até 4 no DD das écoles francesas. Você vai ordenar as suas opções na inscrição na intranet, o passo a passo é explicado nas palestras antes do fechamento de cada edital. Um slide explicativo do edital de DD 2021 está disponível aqui. Além disso, você também vai elencar suas opções no seu projeto profissional (PP). A seleção é feita de maneira parecida com a Fuvest: os candidatos são alocados nas vagas de acordo com o ranking. Caso a 1ª opção da pessoa já esteja ocupada e ainda houver vaga na opção seguinte, ela vai para a 2ª opção, se não, para a 3ª e assim sucessivamente, até acabar as vagas.




Em qual idioma devem ser escritos os documentos enviados no processo seletivo?


O currículo e o plano profissional devem ser em português. Caso você seja selecionado, a universidade estrangeira pode pedir eles em inglês ou no idioma do país (isso vai depender de cada universidade). Já as cartas de recomendação e de motivação só são necessárias para estudar em algumas IES na França e devem ser em inglês ou francês.




Qual o nível de proficiência exigido?


O nível de proficiência varia de faculdade para faculdade e pode ser alterado a cada semestre, por isso recomendamos que entre no site das universidades em que está interessado e pesquise neles. Caso não encontre essas informações no site, recomendamos que você entre em contato com a instituição por email. Lembramos que algumas universidades francesas fazem entrevistas próprias com os candidatos, então é necessário saber falar bem inglês ou francês ainda durante o processo seletivo nesse caso.




Se eu me inscrever para DD, posso desistir e tentar fazer AE? Serei prejudicado?


Se você largar ou desistir do processo no meio, você não será prejudicado. Entretanto, se você for aceito no PS do DD e desistir em cima da hora, você não poderá se inscrever para o processo de AE nos próximos anos.




A média do 1° semestre de 2020 vai ser considerada nos editais futuros?


Sim, a CRInt está levando em conta a média do 1° semestre de 2020.




Há uma referência sobre o número de vagas disponíveis para cada IES?


No caso de AE, elas estão indicadas nos próprios editais. Para DD, não está explícito o número de vagas no edital. Contudo, ao acessar o edital no Sistema Mundus e clicar no ícone de "casinha" do respectivo edital, é possível acessar algumas informações sobre vagas. Nós da iPoli acreditamos que esses dados sejam apenas uma aproximação ou um limite máximo e não devem ser utilizados como o número exato de alunos que vão para cada IES. Veja aqui as informções do edital 1305 (DD 2021).




Para me inscrever no PS preciso de passaporte? Ou posso tirá-lo só caso eu seja aprovado?


Você não precisa de passaporte para prestar, porém recomendamos que não deixe para fazer em cima da hora, pois podem haver complicações com o passaporte e com o visto de estudante. Lembrando que provavelmente você deverá informar o número do seu passaporte para a IES no momento que você irá se inscrever na faculdade. O período de inscrição na IES varia de faculdade para faculdade, em geral começam em março, com exceção das francesas. Ter cidadania europeia ajuda na questão do visto e a CRInt pede para ser informada sobre a cidadania ainda durante o processo.




O que posso fazer para aumentar minhas chances de ser aprovado no PS?


Aqui estão algumas dicas para o currículo:

  • Boas notas são importantes;
  • Certificados de idiomas são um grande diferencial;
  • IC’s são muito relevantes — inclusive, são exigidas pela Technical University of Darmstadt;
  • Participação em grupos de extensão, competições, monitoria, trabalhos voluntários etc.;
  • Cursos extras também entram no currículo e agregam valor a ele.
Lembre-se que não existe uma receita: o importante é dar o seu melhor, sempre pensando num crescimento pessoal saudável. Para os outros documentos exigidos no processo, você pode assistir a Roda de Conversa sobre o Processo Seletivo de DD ou contatar algum politécnico que passou na sua universidade de interesse.




Eu preciso ter um certificado de proficiência antes de me inscrever ou posso tirá-lo após eu passar no processo?


Recomendamos que comece a se preparar o mais cedo possível, entretanto, não possuir um certificado não te excluirá do processo. Apenas fique atento ao fato de que algumas universidades pedem certificado de proficiência no momento da inscrição na faculdade. O período de inscrição e os requisitos linguísticos variam de uma faculdade para outra, por isso, recomendamos que você pesquise no site das universidades de seu interesse. Caso não encontre as informações, recomendamos que entre em contato por e-mail. Tirar o certificado pode ser difícil e demorado, por isso é arriscado deixar para ver isso apenas na véspera da viagem. Sendo possível tirá-lo antes do processo seletivo, o certificado pode ser apresentado para os professores durante a entrevista e vai mostrar que você realmente está preparado.




Iniciações científicas sem bolsa podem ser cadastradas?


Sim, IC sem bolsa pode e deve ser cadastrada!




O que é diferente na seleção de DD de algumas universidades francesas? Como funciona a 3ª fase?


Algumas universidades francesas possuem uma "3ª fase", que pode ser uma entrevista com a própria universidade estrangeira, envio de documentos extras ou até mesmo uma prova. Nesses casos, a CRInt apenas pré-seleciona os candidatos e quem aprova o aluno é a IES estrangeira. Não deixe de se inscrever por medo de ser eliminado na 3ª fase e ficar sem vaga de DD. Ao participar do edital de DD Unificado, se você selecionar também uma IES sem 3ª fase e tiver uma posição suficiente no ranking, você terá sua vaga "reservada" até o fim do processo.




Alunos do 2° ano podem concorrer ao DD? Como funciona?


Sim! Alunos do 2º ano já podem concorrer ao DD num edital específico, apenas para algumas Escolas francesas. Essas mesmas Escolas fazem diversas palestras ao longo do ano, então fique de olho para não perder os eventos relacionados. Mais informações no site da CRInt. Veja o Edital DD 2021 - Ecoles Centrales e Polytechnique.




Qual é a média utilizada na seleção dos candidatos?


Nos editais da CRInt-Poli, a média utilizada não é a do Júpiter nem a do Sistema Mundus. Ela é calculada pela própria CRInt, apelidada de "índice CRInt" e leva em consideração alguns aspectos:

  • Média limpa normalizada do aluno no curso, sem considerar as notas de optativas (a nota não entra no cálculo mas o número de créditos de optativa cursados é considerado, de acordo com o recomendado para sua engenharia).
  • Evolução no curso, existindo alguns coeficientes que podem abaixar seu índice.
O que sabemos a respeito disso está nos slides das palestras de DD e AE dos últimos semestres e pode mudar de ano para ano. Esses slides estão disponíveis no site da CRInt. Veja aqui, por exemplo, a explicação para o edital de DD 2021. Nos editais da Aucani, é utilizada a média calculada pelo Sistema Mundus, que pode ser vista aqui.




Como funciona o ranqueamento dos candidatos?


No edital da CRInt, é levado em conta os seguintes fatores, cujos pesos mudam a cada semestre: - Índice CRInt: Média normalizada explicada na pergunta anterior. É um reflexo do seu desempenho acadêmico. - Currículo Vitae: No currículo, você deve colocar tudo de relevante que fez antes e durante a Poli (olimpíadas científicas, grupos de extensão, IC, centro acadêmico, competições esportivas, entre outros). Como os próprios professores dizem, é melhor pecar por excesso do que por falta, por isso, pode colocar muita coisa sim. - Projeto Profissional: Nesse documento você deve falar sobre ambições após a Poli e porque escolheu as respectivas universidades. Pesquise bastante e foque na parte acadêmica, profissional e de pesquisa das suas opções. Os professores sabem que o intercâmbio é muito bom para a carreira e uma grande experiência cultural, então não precisa falar muito disso. - Entrevista: Não fique nervoso! É apenas uma conversa rápida com os professores, eles provavelmente vão querer saber um pouco mais sobre o que você disse nos documentos anteriores e sentir se você realmente tem interesse e está preparado para fazer o intercâmbio. Segundo a CRInt, as avaliações são imparciais e cada documento é avaliado por pelo menos 2 professores, garantindo assim uma avaliação equilibrada para todos.





Fiz Transferência

Sou aluno de transferência interna da Poli, isso tem alguma interferência no processo de aplicação pro Duplo Diploma? E se eu tiver matérias pendentes, tenho que terminá-las antes de aplicar?


A tranferência interna só vai impactar se o aluno não tiver cursado as matérias que ele deveria ter cursado até o momento, no curso para o qual transferiu. A CRInt já comentou algumas vezes que os alunos devem ter cursado tudo do período ideal deles, inclusive as optativas. A inscrição para quem fez transferência normalmente é feita através de um formulário preenchido manualmente na CRInt e avaliada separadamente. Não deixe de tirar suas dúvidas com eles.




É possível que minha nota seja prejudicada se pedir equivalência de alguma matéria?


Sim, a equivalência de matérias pode prejudicar no cálculo do índice CRInt e assim afetar a sua média da primeira fase do processo seletivo. Para quem realizou transferência interna, cada caso é analisado a fim de deixar o processo mais justo, assim verificando as matérias que ficarão com zero ou com a mesma nota. Já para quem fez transferência externa, a média fica como zero para as equivalências, sendo que o aluno pode cursá-las de novo para melhorar sua nota.




Como são analisadas as disciplinas em que foi feita a equivalência?


As médias consideradas são as médias ponderadas limpas e sujas presente no histórico escolar após a transferência. As disciplinas já cursadas não são zeradas na transferência interna.





Trancamento

Trancar a Poli por 1 ano afetará minha chance de fazer um intercâmbio?


O trancamento afeta da mesma forma que fazer transferência. Após o trancamento, o aluno deverá colocar seu histórico escolar em dia antes de se candidatar. No caso do Duplo Diploma, será necessário cursar todos os semestres (até o 7°) inteiros para iniciar o DD no 8º semestre.




Quando eu passar no intercâmbio devo trancar a Poli?


Ao iniciar o intercâmbio (incluindo o intercâmbio aberto), não há necessidade de trancar a Poli. Você deve entrar em contato com a CRInt para que seja atualizado seu status para “cursando disciplinas no exterior” no JupiterWeb.





Depois do Intercâmbio

O que devo fazer ao retornar ao Brasil depois do DD?


Conversar com seu coordenador de curso para estabelecer quais disciplinas devem ser feitas para finalização do curso na Poli, confeccionando o documento chamado de Plano de Estudos. Para mais informações, acesse o site da Poli.




O que devo fazer ao retornar ao Brasil depois do AE?


Ao voltar ao Brasil para terminar seu curso na Poli, você deve fazer a matrícula através do Sistema Júpiter. Se tiver alguma dúvida em relação à matrícula, pode entrar em contato com o email: secao.alunos.poli@usp.br. Você também tem que ir ao Serviço de Graduação com o Histórico Escolar oficial da IES estrangeira em mãos, para receber instruções de como fazer o pedido de aproveitamento e/ou equivalência dos créditos cursados no exterior. Para mais informações, acesse o site da Poli.




É possível não voltar para o Brasil depois do período de conclusão do intercâmbio e conseguir diploma?


Não! No programa de Duplo Diploma, você primeiro termina a graduação no Brasil e depois consegue os dois diplomas juntos, mas se você não voltar pro Brasil depois do intercâmbio e, consequentemente, não terminar sua graduação na Poli, você não consegue nem o diploma da Instituição de Ensino Superior (IES) estrangeira, nem o da Poli.

No caso do Aproveitamento de Estudos, mesmo não tendo diploma da IES estrangeira, você precisa voltar para o Brasil para conseguir tanto seu diploma da Poli, quanto o reconhecimento do seu intercâmbio.




Como funciona para pedir extensão do período de intercâmbio, por causa de estágio, por exemplo?


Para pedir extensão do período de intercâmbio, no caso de Duplo Diploma, você deve entrar em contato com a CRInt para obter as diretrizes formais necessárias, que incluem a aprovação da CoC do seu curso e podem incluir até a aprovação da IES de destino.
Já a extensão do intercâmbio no caso do AE depende da aprovação da IES de destino, então você deve entrar em contato diretamente com ela. Caso haja aprovação, comunique para a CRInt porque ela vai avaliar se será necessária a aprovação da CoC do seu curso também.




O intercâmbio pode me ajudar a encontrar mais oportunidades de estágio ou emprego?


Sim! Intercâmbios são bons diferenciais para o seu currículo, o que pode ajudar a encontrar mais oportunidades tanto no Brasil, quanto no exterior.




Posso aproveitar meu TCC feito no exterior?


Na maioria das vezes, não é possível aproveitá-lo completamente. O que você pode fazer é estender seu TCC no Brasil para que ele cumpra os requisitos brasileiros, pois alguns deles se diferenciam dos estrangeiros. Para isso, você deve entrar em contato com a CoC do seu curso. Para facilitar esse processo, é interessante você se comunicar com a CoC logo antes do início do seu TCC no exterior, no caso de Duplo Diploma.




Posso aproveitar meu estágio no exterior?


Sim, mas os estágios serão considerados extracurriculares. Para o Aproveitamento de Estudos, todo estágio é aproveitado como extracurricular, mas, para o Duplo Diploma, isso só pode ser feito com os estágios realizados a mais do que o exigido pela IES estrangeira. Para isso, você deve entrar em contato com a CoC do seu curso.